botão play OUÇA AO VIVO

notícias

Saneamento básico rural reúne, em São Carlos, representantes de mais de 50 instituições

quinta-feira | 06-12-2018

Unidade instalada em Joíma, no Vale do Jequitinhonha, o primeiro município contemplado pela parceria com a FBB. – Foto: Renato Marmo

 

EMBRAPA – A participação de mais de 70 inscritos no curso de saneamento básico rural, de mais de 50 instituições do setor público, privado e do terceiro setor, de 28 municípios paulistas, e de países vizinhos, reflete a importância que o tema está despertando na agenda econômica, ambiental e social de órgãos nacionais e internacionais. O número de inscrições superou a expectativa dos organizadores que, inicialmente, haviam limitado em 50 vagas o total de participantes.

O curso, entre terça (4) e quinta-feira (6), é resultado de um convênio firmado entre a Fundação Banco do Brasil (FBB) e a Embrapa Instrumentação (São Carlos – SP), fundamental para promover o saneamento rural no País. A proposta da parceria é ampliar o número de usuários da fossa séptica biodigestora por meio da capacitação de 300 agentes multiplicadores e de instalações de unidades piloto da tecnologia nas cinco regiões do território nacional.

Na programação, discussões teóricas com especialistas renomados do Brasil, ações práticas em campo, além de relatos de casos de sucesso. Durante os três dias, o público vai ter a oportunidade de participar de nove palestras, duas mesas-redondas, visitar um experimento no Laboratório de Referência Nacional em Agricultura de Precisão e instalação de uma unidade da Fossa Séptica Biodigestora no assentamento Santa Helena, na área rural de São Carlos, no dia 6, a partir das 8 horas.

Especialistas em saneamento

Referência em dados estatísticos e articulações sobre saneamento básico, o Instituto Trata Brasil abre as discussões do primeiro dia de evento, às 8h30, na Embrapa Instrumentação, com a palestra de seu presidente, Édison Carlos, sobre a situação do saneamento básico no País.

Casos de sucesso, projetos ambientais, políticas públicas e comunicação social em saneamento rural estão na agenda da primeira mesa-redonda de quarta-feira (5). Os temas serão debatidos pelo presidente da organização do terceiro setor Iniciativa Verde, Roberto Resende; pelo coordenador de Planejamento e Gestão Ambiental do Departamento do Verde e Desenvolvimento Sustentável da Prefeitura de Campinas, Geraldo Ribeiro de Andrade Neto; e pelo jornalista do Trata Brasil, Rubens Filho.

A segunda mesa-redonda do dia ficará sob a responsabilidade do promotor de Justiça do Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente (Gaema) do Ministério Público de Campinas, Rodrigo Garcia, e da coordenadora do Programa Nacional de Saneamento Básico Rural e professora do Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Sonaly Rezende. Os dois vão abordar os aspectos jurídicos, estratégicos e legais de saneamento básico

“Os palestrantes do curso integram uma rede de parceiros da Embrapa Instrumentação, que atua para tentar reduzir o déficit de esgotamento sanitário em áreas rurais no estado de São Paulo, tão necessária para a implementação de ações de saneamento básico rural”, diz o pesquisador Wilson Tadeu Lopes da Silva, um dos organizadores do curso e gestor técnico do projeto com a FBB. Ele também acredita que é um momento ímpar para a troca de experiências e construções de possíveis parcerias.

Pesquisadores e analistas da Embrapa Instrumentação vão abordar os conceitos básicos de saneamento e tratamento de esgoto, as tecnologias sociais desenvolvidas, como a Fossa Séptica Biodigestora, Clorador Embrapa e Jardim Filtrante; o reuso de efluente de esgoto tratado na agricultura, suas vantagens, limitações e segurança; transferência de tecnologias sociais e políticas públicas em saneamento rural.

Multiplicadores em todas as regiões

O convênio entre a Fundação Banco do Brasil e a Embrapa Instrumentação prevê a realização de seis capacitações de agentes multiplicadores em tecnologias sociais de saneamento básico rural nas cinco regiões do País (duas na região Sudeste). Seis Fossas Sépticas Biodigestoras estão sendo instaladas como unidades demonstrativas e como referências regionais.

A execução teve início em setembro e já beneficiou dois municípios, Joaíma, no Vale do Jequitinhonha (MG), e Cidade de Goiás (GO). São Carlos (SP) é o terceiro município onde o projeto está sendo executado. Boa Vista (RR), Crato (CE) e Concórdia (SC) serão os próximos a receber unidades demonstrativas da tecnologia, em 2019.

A proposta de disseminar a aplicabilidade da Fossa Séptica Biodigestora no território brasileiro envolve o apoio de mais seis unidades da Embrapa, organizações não governamentais, associações de produtores rurais e empresas de assistência técnica. O projeto será executado num prazo de três anos e está no âmbito do Programa Trabalho Cidadania da FBB, destinado a contribuir para melhoria das condições de vida das comunidades rurais e proteção ao meio ambiente.

O supervisor do Setor de Gestão da Implementação da Programação de Transferência de Tecnologia, Carlos Renato Marmo explica que o escopo abrange a capacitação de agentes multiplicadores institucionais do setor público, dando-lhes condições técnicas e orientações para formulações de políticas públicas e implantação de projetos em suas regiões de atuação. “Essas diretrizes permitirão prospectar novos parceiros institucionais que atuarão com ações de saneamento básico rural”, diz.

 

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Top Notícias

Cepea

BM&F